.

.

08/08/2010

O Ósculo Negro


Porque temer a morte
se é a vida que nos maltrata?
Porque viver afogado em lamúrias?
Em breve, a morte lhe acomodará.

Não temas o toque da dama.
Quem sabe apenas
osculará a tua testa franzida
onde jaz as rugas da incompreensão?

Receba tal gracejo e veja...
veja os túmulos ao horizonte!
São camas dignas de se repousar.
Lá eternamente são plantadas
as sementes demudadas da ignorância.

Sementes algozes e atrozes
que findam a árvore seca que cresce
com os galhos contorcidos de ódio
por renascer após a morte.


video

Poema escrito em 1991.

Gravado por Rodrigo Santos, no Cemitério Maruí em Niterói, em 07/08/2010.

2 comentários:

F. Otavio M. Silva disse...

oi, sou amigo do mensageiro obscuro,
vi que ele ofereceu a vc o selo do Prêmio Dardos e resolvi ver seu blog, adorei seu estilo.

Aparace lá no meu
http://otaviomsilva.blogspot.com/

Forte Abraço.

. disse...

S.i.n.i.s.t.r.o !!